Vox Patriae

Agosto 27 2009

De 14 a 20 de Setembro, em Idanha a Nova. Já há cartaz! Programa é que só em rumores ou na comunicação social.

 

A questão da tourada parece estar arrumada... Pelos vistos não há mesmo.

Muitos boatos correm sobre as razões desta situação, pelo que me abstenho de comentários, mas não posso deixar de lamentar a falta de algo de elementar e de tão característico e carismático deste certame.

 

É pena que o Sr. Presidente da Câmara não faça um pouco mais pela aficion idanhense, que agrega tantas e tantas pessoas.

É pena que as pessoas falem do fim da feira raiana, quando há anos era o grande evento, esperado por todos.

É pena, é realmente triste, que Idanha-a-Nova vá perdendo tanto de si.

 

Posto o assunto de lado, lá estarei na Feira, pelo menos durante o fim de semana, já que ainda tenho de passar pela Moita do Ribatejo, como não podia deixar de ser!

publicado por André S. Machado às 06:16

Agosto 14 2009

Não é que o primeiro debate televisivo entre os candidatos à Câmara Municipal de Setúbal, promovido pela TVI24, vai ser realizado na sede da Federação Distrital do Partido Socialista?!

 

Haja quem me explique porque é que um debate entre candidatos de várias forças partidárias vai ser realizado no espaço de um deles;

Haja quem me explique qual é o critério da TVI24 na escolha dos espaços dos debates... Daqui a nada fazem-se debates no Largo do Rato ou na S. Caetano à Lapa;

Mais importante de tudo: Haja quem me explique, ainda, porque é que o Arq. Jorge Santana (PSD) ou a Maria das Dores Meira (CDU) vão comparecer num debate, nestas condições!

 

Ele há coisas... Coisas muito estranhas!

 

publicado por André S. Machado às 19:44

Agosto 14 2009

Depois da notícia, aqui publicada, de que não haveria corrida de touros, durante a feira raiana deste ano, em Idanha-a-Nova, começaram a surgir os rumores...

Uns dizem-me que não vai haver tourada, de todo; Outros dizem-me que há empresas interessadas em organizar; Outros, ainda, dizem que sem tourada, não há feira! Já nem sei o que pensar, quanto mais que diga!

 

Entretanto, dizem-me que esta será a última edição da feira raiana, por desentendimentos com autarquias espanholas ou coisa do género.

A ser verdade é muito triste para esta região ver desaparecer um dos maiores certames, senão o maior, dedicado à região e à sua cultura e produtos típicos.

Espero que o rumor não passe disso mesmo. Espero eu e esperamos todos os que vivem ou têm ligação com este concelho magnífico que é o de Idanha-a-Nova.

 

Durante estas férias, ainda tive tempo de visitar a Feira Medieval, realizada em Penha Garcia, aqui uns quilómetros ao lado. Uma iniciativa bem sucedida, pelo que vi.

Muitos visitantes, vários expositores de produtores regionais, boa comida e bebida... Todos os ingredientes para uma grade festa.

Consta que para o ano será em Monsanto... Lá estarei!

publicado por André S. Machado às 08:30

Agosto 12 2009

 

Todos os anos, Agosto é o mês da chamada "silly season", em que a política passa mais ao lado dos portugueses, que gozam as suas merecidas férias e afluem às suas terras natais, enquanto Inglaterra se instala no Algarve, rebaptizado "Allgarve", pelo sempre bem-humurado ex-ministro Manuel Pinho.

 

Este ano a história repete-se, mas há algo de diferente que, no entanto, nos mostra mais do mesmo...

Os portugueses descansam, mas há uma máquina que não pára: O Partido Socialista, que vai gerindo o Governo através do Largo do Rato, mais preocupado que está com o dia 27 de Setembro, vai adjudicando obras de milhares de milhões de euros e vai nomeando como se não houvesse amanhã. É quase que um seguro de vida: Podemos perder, existe até uma forte hipótese de suceder, pelo que vamos meter pessoal nos institutos, empresas públicas, etc.

 

Notícias como esta e esta são preocupantes... Então as obras, muitas desnecessárias, são adjudicadas por x milhões de euros e, passados meses, já os custos derrapam em dezenas de milhões? Como é que se admite que haja agravamentos de quase 120%? É que o mais engraçado, sem ter graça nenhuma, é que se tratam de obras que nem estão no terreno, ainda. Imagine-se no fim, quantos milhões a mais não estarão perdidos por aí!

 

Situações como estas têm de ser fiscalizadas e severamente punidas! Não se entende que numa democracia adulta como a nossa, continuem a existir abusos descarados como estes.

Em nome da credibilidade da política e dos políticos, algo tem de mudar radicalmente.

 

Sócrates, neste seu querido mês de Agosto, escreve que os portugueses estão perante uma "escolha decisiva", e sublinha a atitude na governação... Não posso estar mais de acordo! Atitudes como as do Governo que lidera são bem o exemplo de uma péssima atitude na governação.

A "escolha decisiva" está próxima... Veremos o resultado desta política de palavras versus actos.

 

Publicado em Psicolaranja

publicado por André S. Machado às 07:19

Agosto 12 2009

Temos que o touro bravo existe para proteger determinados territórios que constituem fontes de vida para certas comunidades. Territórios organizados por definida composição humana, cujas as funções dos elementos se supõem em hierarquias claramente organizadas, compostas em harmoniosa articulação. Entre essa gente o touro bravo atinge foros de expressão sagrada, pois que garante a defesa contra a intrusão de malfeitores nos seus territórios, domínios ancestrais das suas vidas.

 

A sublimação, o ponto alto da exaltação do animal surge nos extremos pendulares das estações do ano com a transumância do gado em busca de zonas climáticas mais adaptáveis ao seu bem estar e onde na época poderão dispor de pastagens adequadas às suas necessidades. Esses extremos, de partida e chegada do gado, nos quais o bovino assume lugar especial, proporcionam a festa em que a exaltação máxima ocorre dentro da arena com a lide dos touros bravos. O cavaleiro, qual S. Jorge sobre cavalo branco saído da luz para o círculo que define a arena – imagem geométrica do caos – que com inteligência de aristocrata deve dominar e levar a besta, a fera, a força bruta desprovida de pensamento e saída da sombra, para o centro onde deixará cair a lança sobre o dorso do animal, metamorfoseando a arena conferindo-lhe finalmente a forma de circunferência, deixando então simbolicamente fixada a ideia do Cosmos, qual mundo devidamente ordenado.


A lide de touros é o tributo regular dos homens ao animal que guarda as fronteiras de um território necessário à existência de uma comunidade humana. O touro, forte, sóbrio e assustador coroa uma espécie que tem oferecido aos homens desde o início os fertilizantes para as culturas dos seus territórios, a força bruta para puxar os arados e arrastar as cargas que excedem as possibilidades humanas, o leite e a carne que possibilitam a reposição obrigatória e regular das proteínas no organismo humano, as peles para os coiros e cabedais destinados à indumentária e outros artefactos úteis à sobrevivência humana, a irradiação de calor aos lares, fonte ancestral de aquecimento das antigas habitações rurais, aliás, fonte arquetípica de calor, logo presente na natividade de Jesus.


A tourada afigura-se racional, necessária e decisiva para a preservação da paisagem portuguesa. O touro português é o guardador das fronteiras entre a civilização do mar e as potências colonizadoras continentais. É o touro o primeiro reduto da defesa da nossa civilização. É entre os cabanos e os gravitos que passa a linha que distingue profundamente a civilização aberta, excêntrica, destemida, liberal, dos portos, ou Portugal e a civilização enclausurada, egocêntrica, receosa, proteccionista dos castelos, ou Castela. A erradicação da tourada, significa o extermínio dos touros, e o extermínio dos touros significa a explosão caótica da Península Hispânica. A paisagem da tradição portuguesa, que exprime a sabedoria de encontro ecuménico, de relações liberais, e de tendência universal no convívio entre homens das mais diversas proveniências metafísicas, intelectuais, genéticas e biológicas, tenderá a desmoronar-se definitivamente.


A tourada é a festa rústica de primeira ordem da Pátria Portuguesa, na qual se exalta o animal que é decisivo para a sobrevivência da nação em que o espírito que dá sentido a Portugal primeiramente encarnou. As ganadarias nacionais são a guarda avançada da civilização talássica e o touro afigura-se como o guarda-mor da paisagem portuguesa lusitânica (se é que Portugal ainda mora aqui…).

 

Retirado daqui, com os devidos aplausos de felicitação e admiração por quem tão bem escreve e valoriza tão valiosa tradição nacional!

 

publicado por André S. Machado às 05:08

Agosto 12 2009

 

Nós, portugueses, assistimos,impávidos e serenos, à entrada de dois detidos da prisão de Guantanamo em território nacional.

Nós, portugueses, nem sequer sabemos o porquê de tudo isto!

Nós, portugueses, podemos enfrentar uma séria ameaça à segurança nacional!

 

Todo este processo cheira mal: Não sabemos porque é que temos de receber estes sujeitos; Não sabemos qual é o estatuto que lhes será conferido pelas autoridades; Não sabemos se vão passar a andar nas ruas deste país, dois suspeitos de terrorismo à mais larga escala... No fundo, não sabemos nada. E continuamos felizes e contentes, de férias, sem nos preocuparmos minimamente com questões fundamentais como a defesa dos cidadãos portugueses, que terão de conviver com indivíduos suspeitos dos actos mais desprezíveis da realidade humana e civilizacional.

 

Interessante ver como Agosto, em vésperas de eleições, é mais do que paragem e calmaria... Nomeações de última hora para ali, adjudicações para acolá... Infelizmente, a isso já nos habituámos e continuamos a criticar sem nada fazer.

Agora, assistir a uma situação como esta, em que a segurança de todos nós e das nossas famílias está em risco... Isso é decepcionante.

Pobre país, governado por gente subserviente!

publicado por André S. Machado às 04:52

Agosto 12 2009

 

Interessante entrevista de Vasco Pulido Valente, ao jornal I, conduzida por Laurinda Alves.

publicado por André S. Machado às 04:50

Agosto 12 2009

 

A JSD, em que orgulhosamente milito, mesmo por estes dias de maior calmaria política, marca a agenda e inova, com iniciativas que saúdo e aplaudo, entusiasticamente.

 

A Universidade de Verão 2009 já tem programa e no dia 24, tem início a acção de formação política mais abrangente e de maior relevo e prestígio, em Portugal. Em 2008 participei e é, de facto, uma experiência muito frutuosa e gratificante para quem a vive.

Aos formandos deste ano, desejo o melhor trabalho e que desfrutem de cada minuto!

 

Novo Portugal

Uma iniciativa de excelência! Uma verdadeira plataforma de participação política para os jovens portugueses.

Isto sim, é dar voz à juventude, não só junto do partido, mas junto do poder, neste caso do poder legislativo que se constituirá a 27 de Setembro.

Espero eu e esperamos todos que esta plataforma seja um projecto, como previsto, para a legislatura e que os deputados eleitos pelo PSD, militantes da JSD, possam honrar este compromisso que assumem, com esta iniciativa.

Estou em crer que estarão à altura do que se propõe realizar.

publicado por André S. Machado às 04:31

Agosto 12 2009

 

Já há alguns dias que estou ausente destas lides "blogoesféricas"...

A justificação é simples: Férias na terra, carregador do computador portátil em casa, a 300 km e picos...

 

Nos próximos dias isto vai andar calmo: São as férias, a chamada "silly season" e os compromissos já assumidos com boas noites de sono e festas com os amigos que revejo todos os anos.

 

Imagem: Vista do pôr-do-sol na Barragem Marechal Carmona, no concelho de Idanha-a-Nova. Privilégios de um mês de férias, por aqui!

publicado por André S. Machado às 04:26

Um blog de André S. Machado
Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26



Ligações
Pesquisa
 
subscrever feeds
blogs SAPO