Vox Patriae

Fevereiro 20 2010

Henry Ford (30 de Julho 1863 - 7 de Abril 1947)

 

O melhor uso do capital não é fazer dinheiro, mas fazer dinheiro para melhorar a vida

 

Até um erro pode revelar-se um elemento necessário para um feito meritório

 

Pensar é o trabalho mais difícil que existe e esta é provavelmente a razão porque tão poucos se dedicam a ele

 

Fracasso é a oportunidade de começar de novo com mais inteligência e redobrada vontade

 

Nota: Nas duas últimas semanas a rúbrica esteve interrompida por problemas de publicação no próprio blog.

publicado por André S. Machado às 00:30

Fevereiro 19 2010

 

 

Futurália 2010

10 a 13 de Março

Feira Internacional de Lisboa (FIL)

 

A Futurália reúne, todos os anos, milhares de jovens que nela procuram a sua vocação académica ou profissional. Agrega faculdades, associações académicas e juvenis, entidades públicas e privadas, empresas diversas...

É um bom exemplo daquilo que, com relativa facilidade se pode fazer para motivar e apoiar os jovens portugueses.

 

A SPOT - Feira de Juventude e Emprego, na mesma linha, constitui também um importante pólo de incentivo ao empreendedorismo jovem, seja na sociedade civil, nas universidades ou nas empresas. Nesta feira, juntam-se debates e importantes momentos de reflexão sobre os principais problemas e desafios dos jovens.

 

É importante apostar neste tipo de iniciativas e, sobretudo, dotá-las de maior visibilidade e acessibilidade para um conjunto alargado de jovens.

A Futurália, como a SPOT, são bons exemplos do que se pode fazer, e bem, em prol da juventude portuguesa, resta-nos aproveitar as excelentes ideias que constituem e ir mais além que aquilo que já foi conseguido.

publicado por André S. Machado às 01:20

Fevereiro 19 2010

 

Há dias lia algures que Portugal precisa de sangue! As reservas de sangue nos hospitais estão num nível preocupante, sendo que os stocks podem chegar a uma situação de insuficiência para as normais solicitações clínicas.

 

Doar sangue é um gesto de profunda solidariedade para com um desconhecido a quem podemos salvar a vida. Para isso, para eventualmente salvar alguém, basta uma pequena deslocação a uma unidade de saúde equipada: Não tem custos, não acarreta qualquer tipo de obrigação, há até quem diga que chega a fazer bem à saúde!

 

Será que a simples perspectiva de poder ser parte activa na salvação de uma vida não é gratificante o suficiente para um gesto tão simples? Acho que sim, que vale muito a pena.

publicado por André S. Machado às 01:06

Fevereiro 18 2010

 

Ao ver o Marco Horácio na RTP-2, entrevistado pelo Nilton, recordo-me do Levanta-te e Ri, um excelente programa, que acompanhei desde o pequeno palco até às grandes salas nacionais.

Em Portugal faz-se muito e bom humor. O Levanta-te e Ri foi a rampa de lançamento para muitos dos grandes nomes da comédia nacional, entre os quais se contam Ricardo Araújo Pereira, Nilton, Bruno Nogueira ou Aldo Lima. Como dizia Marco Horácio há momentos: "O Levanta-te não lançou ninguém, apenas deu visibilidade a quem já fazia humor com qualidade". Era isso que fazia falta no humor português, como hoje é necessário em tantas outras áreas.

publicado por André S. Machado às 01:02

Fevereiro 17 2010

publicado por André S. Machado às 21:36

Fevereiro 16 2010

 

João Vale de Almeida, Director de Relações Externas da UE, um cargo de elevadíssimo relevo, foi nomeado Embaixador da Comissão Europeia em Washington.

Num dia em que se fala de prestígio nacional, pelos cidadãos que exercem altos cargos internacionais, é justo enaltecer este Embaixador que muito nos deve orgulhar.

Que seja bem sucedido nesta nova e importante funções que vai assumir. A bem de Portugal e da União!

publicado por André S. Machado às 20:57

Fevereiro 16 2010

 

Portugal, entre as inúmeras seculares tradições que o caracterizam, sempre festejou o entrudo, em vésperas de Quarta-Feira de Cinzas e do início da Quaresma. Hoje, as coisas funcionam de maneira diferente e assistimos, de certa forma, a uma desvalorização do local ou regional em favor de um estereótipo de carnaval que resulta da visibilidade da considerada maior festa do mundo: o Carnaval brasileiro. Curiosamente, foi Portugal que introduziu a tradição do entrudo em terras de Vera-Cruz.

 

Facto é que o povo aderiu em força aos festejos "à brasileira", mas convenhamos que entre Portugal e o Brasil há muito de diferente, desde logo pelo clima (que não é propício a desfiles, de todo). Não questionando este tipo de festas, não posso deixar de notar que tudo isto não tem muito a ver connosco, se bem que calado fico quando vejo centenas de pessoas à chuva e ao frio para ver aqueles desfiles de gente meio nua.

 

Acho que este clima de alegria é positivo, ainda para mais numa altura como a que vivemos. No entanto, não deixo de lamentar que a imagem de marca do entrudo nacional seja a de duas mulheres (brasileiras, por sinal), de cuecas fio-dental e nada mais.

publicado por André S. Machado às 20:32

Fevereiro 16 2010

 

Portugal Meu Amor

 

Da autoria de Hugo Gonçalves, uma excelente série de programas sobre o Portugal de hoje. Um conceito muito interessante, diferente do que estamos habituados. Uma excelente iniciativa da SIC Radical.

É importante enaltecer aquilo que nos deve orgulhar, enquanto portugueses; É importante chamar a atenção para aquilo que está errado ou mal pensado, no nosso país; É importante olhar para realidades tão diferentes como os bairros sociais ou a vida das juventudes partidárias... Tudo isto é conseguido pela equipa de Hugo Gonçalves. Um programa muito interessante, num panorama televisivo que não valoriza como devia este tipo de projectos.

publicado por André S. Machado às 20:23

Fevereiro 16 2010

 

Vítor Constâncio foi eleito Vice-Presidente do Banco Central Europeu. É uma função de elevado relevo no contexto das mais altas instituições europeias. Ainda para mais, com a questão da supervisão bancária sob a sua responsabilidade, o cargo que vai exercer ganha especial importância, nos tempos que vivemos.

 

Sou da opinião que é sempre positivo contar com um português em funções desta relevância. Não por uma questão de favorecimento do país, mas porque é prestigiante para Portugal e porque é confortável saber que a sensibilidade nacional está, de alguma forma, representada nestas organizações.

 

Constâncio deixa o Banco de Portugal num clima complicado, em que questões de supervisão ganharam especial visibilidade. Quero acreditar que estará mais preparado para lidar com a realidade europeia. O facto de ter sido ouvido e interrogado pelos eurodeputados, conjugado com a negociação governamental e diplomática, dá-me alguma segurança na nomeação, mas a bola está do lado do ainda Governador do BP, como se costuma dizer.

 

Resta-me dizer que há dois factos que não coroam esta nomeação: Por um lado, o facto da sua nomeação estar ligada à preocupação alemã de garantir a presidência do BCE, no próximo ano; por outro lado, a declaração de Constâncio, que referia, há semanas, que estas nomeações não são uma questão de mérito, mas uma questão de negociações entre governos.

Esperemos que, em Junho, quando iniciar funções, saiba superar estas manchas, numa nomeação que tem tudo para orgulhar a diplomacia portuguesa.

 

Agora, resta-nos a questão do próximo Governador do BP... Isto vai andar agitado!

publicado por André S. Machado às 20:11

Fevereiro 12 2010

 

No dia do 20º aniversário da libertação de um símbolo universal da liberdade, em Portugal uma providência cautelar visa impedir a publicação de um trabalho jornalístico no semanário Sol.

Manuela Moura Guedes, face a isto, chegou a afirmar que "foi oficializada a censura em Portugal", à margem da apresentação de um livro de crónicas de Mário Crespo, que viu um artigo seu não ser publicado, em circunstâncias ainda por esclarecer.

 

Já todos sabemos que este Governo e, em especial, o Primeiro-Ministro têm uma relação difícil com a comunicação social. Não creio, no entanto, que a liberdade de expressão em Portugal esteja em causa: Está doente, sim, por via de todas estas suspeitas. Nem que seja por alguma ingenuidade, penso que Portugal tem os órgãos e os mecanismos suficientes de forma a garantir o exercício da liberdade de expressão, tal como constitucionalmente consagrada.

 

Situações como a que se vive hoje são sintomas de um governo e de um Primeiro-Ministro desorientados e perdidos numa encruzilhada política. No entanto, não creio que a questão da governabilidade aqui se possa inserir.

 

Como disse, penso que existe liberdade de expressão em Portugal, mas não deixo de reconhecer que existem indícios de algo de muito grave e sinuoso. Ainda mais preocupado fico quando todos se preocupam com processos e ninguém atenta no conteúdo das escutas que vão sendo divulgadas: Se por um lado há um caso judicial, não deixa de ter repercussões fortemente políticas.

 

Aguardemos pelos próximos capítulos. Pelo que sei, o Sol está a chegar às bancas e eu não tardo a lê-lo, nesta madrugada em que parto para Salamanca.

publicado por André S. Machado às 03:06

Um blog de André S. Machado
Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15

22
24

28


Ligações
Pesquisa
 
subscrever feeds
blogs SAPO