Vox Patriae

Novembro 17 2010

 

O jogo da Selecção Nacional de hoje, contra a Espanha, foi formidável. É extraordinário como uma equipa se volta a motivar, após um período tão conturbado, em tão poucos meses. Mais importante que isso, a equipa das quinas (re)ganhou hoje o afecto do público português, que num estádio bem composto gritou pelos jogadores durante os 90 minutos.

 

O jogo de hoje foi importante para esta reaproximação do público à selecção, foi importante para a motivação da equipa e foi importante para a afirmação de um treinador que, neste momento, tem o mérito de ter unido um grupo de trabalho e recolocá-lo na senda das vitórias.

Mais que isso, tendo em conta o simbolismo, acho que o espectáculo e o ambiente vivido no Estádio da Luz foi prova de que estamos perante duas grandes equipas do futebol mundial e, também, de um público ibérico fenomenal. Será um passo importante para o sucesso da candidatura à organização do Mundial de 2018? Esperemos que sim. Seria um momento marcante para o Desporto nacional e para o futebol, em particular, essa modalidade raínha por cá.

publicado por André S. Machado às 23:19

Novembro 15 2010

 

Luis Amado, numa entrevista ao Expresso, revela-se saturado de ser Ministro. Hoje, desdobra-se em explicações e desmentidos, acentuando a "motivação" com que está no Governo.

Teixeira dos Santos, numa entrevista ao Financial Times, admite o elevado risco de Portugal ter de recorrer a ajudas externas (entenda-se UE e FMI). Ao longo do dia multiplicaram-se os esclarecimentos.

António Mendonça, no Parlamento, volta a afirmar que as obras do TGV começam no início do próximo ano, quando o contrato ainda não foi visado pelo Tribunal de Contas e quando o grupo criado para avaliar as parcerias público-privadas (resultado das negociações com o PSD, em sede de orçamento) ainda não se pronunciou.

 

Num Governo que começa a ter várias cabeças, o discurso muda de dia para dia, conforme as circunstâncias. É um Governo esgotado que dirige este país. Mais grave que isso, é um Governo de gente saturada e desorientada que não consegue encontrar um caminho para Portugal.

 

Publicado em Psicolaranja

publicado por André S. Machado às 22:00

Novembro 15 2010

 

publicado por André S. Machado às 00:15

Novembro 14 2010

Foram eleitos, na passada quinta-feira, para o Conselho Geral da Universidade de Lisboa, enquanto representates dos estudantes da Universidade: O André Moz Caldas, o João Ascenso e o Álvaro Esteves. Tive o privilégio de trabalhar com todos eles e não podia estar mais orgulhoso da sua eleição para este órgão, que decide ao mais alto nível, no seio da Universidade. A todos eles, votos de bom trabalho e muito sucesso na representação dos mais de vinte mil alunos da UL.

publicado por André S. Machado às 17:01

Novembro 14 2010

 

Reuniu-se, no passado dia 9 de Novembro, na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, o Conselho Geral da Associação Académica da Universidade de Lisboa, ao qual tenho a honra de pertencer, na qualidade de representante eleito dos estudantes da Faculdade de Direito.

 

O principal objectivo da reunião foi a apresentação e discussão do Relatório de Actividades da Direcção Geral da AAUL e elaboração do parecer do Conselho.

O relatório de actividades apresentado pelo André Moz Caldas espelha bem o contributo extraordinário que esta Direcção-Geral deu no sentido do crescimento e afirmação política do projecto AAUL. Menos de um ano depois da tomada de posse dos actuais órgãos sociais da Associação Académica, o documento apresenta um rol de iniciativas bem sucedidas que merecem destaque. Eu atrever-me-ia a destacar todas elas, mas tal como fiz na intervenção que tive oportunidade de fazer em sede de Conselho Geral, relevava três pontos essenciais:

 

1) Universidade Verde

A iniciativa Universidade Verde marcou a agenda pela positiva. Foi a primeira iniciativa do género, de onde saíram propostas de elevadíssimo interesse e aplicabilidade prática para a construção de uma Universidade mais "amiga do ambiente". É um tema que, internacionalmente, ganha relevo e a AAUL inovou, neste sentido.

 

2) Estados Gerais da AAUL

Uma iniciativa em que também participei. Entre os dirigentes de todas as associação de base da UL discutiram-se os problemas essenciais da Universidade e chegou-se a propostas sólidas para o progresso da instituição. O documento que resultou do fim-de-semana de trabalho na Reitoria da UL é um importante instrumento de trabalho para os que seguirão no comando dos destinos da AAUL e, no fundo, para todos os dirigentes associativos da UL.

 

3) Aposta nas Relações Internacionais

A internacionalização das instituições de Ensino Superior surge como um dos principais desafios que se colocam à representatividade estudantil, neste início de séc. XXI em que as expressões "integração europeia" e "globalização" ganham especial relevância. A AAUL, através das diversas iniciativas em que participou, representou ao mais alto nível a Universidade e contribuiu, activamente, para os trabalhos de todas elas.

 

Estes são apenas três aspectos que me permito destacas, entre o trabalho constante e quotidiano em sede de política educativa e acção social, na dinamização do Open Space de estudo, na realização de actividades de "marca AAUL", na divulgação do Provedor do Estudante, na recuperação financeira da instituição, na celebração de importantes protocolos, entre tantas outras conquistas, que me orgulham enquanto estudante da Universidade de Lisboa.

Não deixo, também na linha daquilo que afirmei em sede de Conselho Geral, de destacar o papel que os instrumentos resultantes das iniciativas promovidas pela AAUL e naquelas em que esta esteve representata, desempenham. A Declaração Final dos Estados Gerais é um exemplo a que se junta a Declaração de Roma, por exemplo, resultade da conferência internacional "Europe Through Students Eyes, patrocinada pela rede de Universidades Europeias UNICA.

 

O parecer do Conselho Geral espelha bem o reconhecimento dos representantes das unidades orgânicas da UL neste sentido e a crescente ambição que se cria no seio da representatividade estudantil da Universidade de Lisboa. Volto a usar a imagem do logotipo da AAUL, reafirmando, numa alusão à caravela, que esta Direcção-Geral foi uma rajada de vento que muito puxou pela Associação Académica. Orgulho-me de ter soprado um pouco nesse sentido, mas sobretudo conforta-me saber que fui representado, neste último ano, pelo melhor que a Universidade de Lisboa tem para oferecer, na sua comunidade estudantil.

publicado por André S. Machado às 17:00

Novembro 13 2010

 

Muitas vezes tenho recordado, nos últimos tempos, a célebre frase de Vitor Hugo, quando este dizia que A prudência dos cobardes assemelha-se à luz das velas: ilumina mal, porque treme. Isto porque, recentemente, tenho assistido a infelizes e tristes manifestações de falta de carácter de pessoas que ofendem a honra e o bom nome de outras, atrás do manto cobarde do anonimato, concretamente, em espaços "online" como os blogs ou redes sociais.

 

A resposta que sempre tenho encontrado, porque também eu já fui alvo destas frustradas tentativas de gente cobarde, é o simples e puro desprezo. Dar importância a este tipo de atitudes é alimentar ainda mais a inveja, o ciúme e a falta de carácter destas pessoas, que encontram a sua miserável realização pessoal nestas acções que bem revelam a sua estrutura ética e moral. Na verdade, cada ofensa visa, apenas e só, diminuir alguém na sua honra, mas resulta, em verdade, na diminuição da própria dignidade de quem ofende. O ataque sob a capa do anonimato diz mais do que insulta, do que daquele que é insultado.

 

Mas o véu do anonimato, atrás do qual se escondem os cobardes, não é eterno. Calculo que seja muito difícil descobrir o autor de um blog anónimo ou o dinamizador de um perfil anónimo numa qualquer rede social, mas chega sempre o dia em que o nome surge. Surge naturalmente porque a cobardia não é um defeito, que possa ser corrigido: a cobardia é um traço de carácter que, mais cedo ou mais tarde, se torna claro para todos. Por isso sei que todos os dias é possível que aperte a mão a um destes tipos sem escrúpulos, mas conforta-me a convicção de que chegará o dia, e nunca é assim tão tardio, em que o véu cai e o cobarde sentirá as pernas tremer, porque terá de responder por aquilo que diz ou escreve, cara a cara, esse momento que tanto receia.

 

Desilude-me profundamente ver amigos envolvidos nestas situações tão desagradáveis. Desilude-me, sobretudo, porque vêem-se envolvidos por uma única razão: assumir frontalmente as suas posições. Custa-me, ainda, saber que se multiplicam os cobardes em instituições que não merecem ver o seu nome manchado com as atitudes desta gente.

Resta-me o confortável sentimento de saber que todos os dias estou ao lado do exacto oposto daquilo que critico nestas linhas. Escrevo no Psico, em que todos assinamos e assumimos as visões que defendemos; e trabalho, diáriamente, com quem dá a cara por aquilo em que acredita. Essa é a luz das convicções, é a luz que não treme.

 

Publicado em Psicolaranja

publicado por André S. Machado às 15:35

Novembro 10 2010

 

A frase é de Thomas Mann, em As Confissões de Feliz Krull. É com esta citação que a Vice-Reitora da Universidade de Lisboa, Prof.ª Doutora Maria Amélia Loução, inicia um comunicado de congratulação pela atribuição do estatuto de monumento nacional ao Jardim Botânico da Universidade de Lisboa.

Há mais de dez anos visitava, pela primeira vez, o jardim, sem sequer pensar que um dia estudaria na Universidade que lhe dá nome. Esta atribuição é motivo de orgulho para todos nós, para a comunidade académica da Universidade de Lisboa. Mais que isso, é um acto de justiça por todos aqueles que durante anos trabalharam para o Jardim e que 40 anos depois do primeiro despacho de pedido de atribuição do estatuto, vêem esse trabalho reconhecido.

publicado por André S. Machado às 16:50

Novembro 10 2010
Entre 10 e 12 de Dezembro, no Estoril, decorre a quarta edição da Universidade da Europa, do PSD, JSD e PPE. Uma organização com a chancela de excelência de Carlos Coelho.
Tive a oportunidade de participar na última edição e foi uma experiência fantástica. Cada vez mais importa reflectir a Europa e o projecto europeu e os jovens têm uma palavra a dizer também aqui. O programa provisório é muito bom e os oradores convidados, ainda não confirmados publicamente, tenho a certeza, não deixarão créditos por mãos alheias.
Bom trabalho!
publicado por André S. Machado às 00:19

Novembro 09 2010
Em 9 de Novembro de 1989, há 21 anos atrás, caía o Muro de Berlim, abrindo-se portas para a reunificação alemã e para a construção de um projecto europeu mais sólido.
Hoje, a Europa não está dividida por uma "Guerra Fria" ou por um confronto ocidente-Leste, mas enfrenta sérios e importantes desafios que ameçam o projecto de união que passo a passo tem dado frutos indiscutíveis. É a hora de derrubar esses muros, com a força de vontade e com o espírito de união que os alemães de 1989 encontraram para alterar, profundamente, o curso da história.
publicado por André S. Machado às 08:49

Novembro 08 2010
No próximo fim-de-semana decorre em S. Miguel de Acha, freguesia do concelho de Idanha-a-Nova, a primeira edição do Festival dos Vinhos e dos Licores. Mais uma iniciativa a louvar, num concelho que conhece cada vez mais eventos deste género e que valorizam os recursos locais, ao mesmo tempo que potenciam o turismo regional. Lamento não poder estar presente, mas fica a nota.
publicado por André S. Machado às 20:18

Um blog de André S. Machado
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12

16
18
19
20

21
24
26
27

28


Ligações
Pesquisa
 
subscrever feeds
blogs SAPO